SIGA-NOS NO FACEBOOK
CATEGORIAS
Top
 

Blog

Os cinco maiores vilões do lanche no trabalho

Nada mal que a fome bata no meio do expediente, mas alguns alimentos e certos hábitos podem prejudicar a sua saúde e afetar a produtividade

Em uma rotina de muitas horas seguidas de trabalho, é raro que não se pare para fazer um lanche, aquele momento para repor energias, relaxar e mesmo para pensar melhor. Mas para valer a pena mesmo, como tudo na vida, vai depender das escolhas que você fizer. É que alguns alimentos, embora oferecendo a sensação de saciedade, podem prejudicar a sua produtividade nas horas seguintes de trabalho, aumentando os níveis de estresse, fadiga e ansiedade.

Na correria entre um e outro compromisso, essas escolhas podem ficar em segundo plano, e muitas vezes não se percebe que os equívocos cometidos na alimentação podem estar contribuindo para afetar a regulação do metabolismo e o bem-estar.

Reunimos cinco desses principais alimentos e substâncias, e também algumas dicas para substituí-los. Vale ressaltar que, muitas vezes, as opções disponíveis no local de trabalho não são as mais adequadas, então pode ser necessário se organizar para levar de casa ou ter acesso a opções saudáveis.

1. Fast food: sanduíches, batatas fritas e outros lanches costumam ser opções tentadoras, mas a grande concentração de sal e gorduras saturadas indicam que se tratam das piores escolhas. Essas comidas sobrecarregam o sistema cardiovascular, o que atinge em cheio o bem-estar, além da sua evidente pobreza nutricional.

2. Cafeína: companheiro de muita gente no trabalho, o café em excesso é um vilão da produtividade porque a cafeína é uma substância estimulante que promove a liberação de adrenalina, elevando o estresse. Vale lembrar que a cafeína também compõe bebidas como chá, chocolate e coca cola.

3. Biscoitos recheados, doces e pães: eles estão naqueles lanchinhos tentadores oferecidos pelos colegas de trabalho ou nos balcões das padarias próximas à firma. Com excesso de açúcar e de carboidratos refinados e poucas fibras, claro que devem ser evitados. E têm também as opções aparentemente saudáveis, a exemplo das barras de cereais, que podem trazer bastante sódio e açúcar na composição. Portanto, atenção aos rótulos desses produtos.

4. Refrigerantes e sucos: aqui, duas armadilhas. Os refrigerantes são ricos em açúcar, mas muita gente pode escolher as versões light e diet acreditando driblar essa desvantagem. Acontece que elas têm aditivos químicos e sódio na composição, uma sobrecarga para o fígado. Quanto aos sucos, estão liberados os naturais, já que as versões industrializadas também são ricas em sódio e aditivos.

5. Embutidos e condimentados: irresistíveis para muita gente, podem vir em versões consideradas mais saudáveis, como os salgados recheados com peito de peru. Mas não se engane, todos têm concentrações de sódio, aditivos químicos, açúcares e gorduras que podem elevar a pressão arterial, a fadiga e, consequentemente, o estresse.

Trocas inteligentes

Tão variadas e disponíveis quanto as opções que boicotam a sua qualidade de vida no trabalho, são as alternativas saudáveis. Tudo vai depender, é claro, de atitudes conscientes. A consulta a nutrólogo e nutricionista é importante para abrir o leque de opções mais personalizadas, inclusive com relação às quantidades e frequência.

São boas escolhas os pães e biscoitos integrais, frutas (frescas ou secas), iogurte natural e barras de cereais (cuidando para checar se são ricas em fibras e pobres em açúcares).

E como a alimentação saudável não é tudo, considere somar a ela uma boa noite de sono, exercícios físicos regulares, café da manhã reforçado, almoço saudável e na hora certa. Você vai ver a disposição e a produtividade aumentarem, e não só no trabalho!