Benefícios flexíveis e tecnologia no RH: o segredo do iFood para conquistar os profissionais

Transformação Digital e Benefícios Flexíveis. Esses dois termos nunca foram tão discutidos no segmento de Recursos Humanos. Isso porque as duas tendências de mercado tornaram-se quase que indispensáveis a qualquer empresa que deseje transformar o RH em uma divisão mais estratégica.

Para se ter ideia da importância dessa mudança de mentalidade nas companhias, uma pesquisa realizada pela consultoria Gartner indica que 92% dos CEOs reconhecem a necessidade de digitalizar o RH. Com isso, eles acreditam que seria possível alcançar uma experiência digital completa e eficiente.

Ciente da necessidade desse movimento, o iFood, uma das maiores empresas de delivery do Brasil, investiu na digitalização de seu RH e na adoção de benefícios flexíveis. Para tanto, investiu em um relacionamento com a Bematize, parceira de inúmeras companhias para transformar seu RH tradicional em uma versão 4.0.

“A partir dessa mudança de olhar, em 2018, passamos a investir em benefícios de uma forma mais assertiva e sustentável, agregando valor com a liberdade de escolhas, de acordo com as necessidades dos colaboradores”, explica Priscila Fontanelli, da área de People Projects do iFood.

Embora tenha sido bem sucedida, a experiência não foi fácil. Ela englobou desde a revisão dos contratos e condições com os parceiros até um realinhamento estratégico. Nesse momento, o apoio de uma consultoria especializada nesse segmento foi essencial.

“Sempre nos posicionamos como parceiros consultivos, apoiando desde a construção do desenho até o go-live e a sustentação do modelo”, explica Ronn Gabay, sócio-fundador da Bematize, parceira dessa mudança cultural no iFood.

Com base no posicionamento que o iFood tem em relação ao mercado, a consultoria ajudou a promover um realinhamento estratégico. Além disso, apoiou a revisão de processos e contratos. 

“Em 2018, antes de a Bematize chegar, tínhamos um modelo desordenado de investimento com esse foco”, conta Priscila. “Com o modelo que ajudaram a implantar, conseguimos uma forma mais assertiva e sustentável de implementar essas mudanças”, completa.

Um levantamento feito pela própria Bematize aponta que, nas empresas que possuem o modelo flexível, no caso da assistência médica, o número de companhias que flexibilizaram esse benefício recentemente foi de 71,43%, e o mesmo acontece com os planos odontológicos. Em auxílio-alimentação, o índice subiu para 85,71%; para o auxílio-refeição, o percentual chegou a 78,57% do total de empresas avaliadas.

Muito menos operacional e mais estratégico, o RH do iFood se destaca por oferecer benefícios flexíveis e gerar  a possibilidade de implementar melhorias sugeridas pelos colaboradores a cada seis meses. “Com o auxílio das novas tecnologias, a empresa, pode se conectar com outras áreas, colaboradores e fornecedores”, comenta Ronn Gabay, sócio-fundador da Bematize.

O uso de dados estatísticos para fazer diagnósticos, previsões e estratégias também ajudou a reduzir os erros e oferecer experiências melhores aos funcionários. 

“Essa foi mais uma forma que encontramos de empoderar as pessoas no sentido de elas conhecerem efetivamente as possibilidades que o programa lhes dá, de acordo com o momento de vida delas”, conta Priscila. “Agora, podem decidir o que é melhor com a família.”

Sobre as mudanças nos benefícios flexíveis, a executiva comenta que há inúmeras mudanças a cada semestre, porém a mais recente surgiu de um pedido dos próprios funcionários.  “Uma que agregou bastante valor foi a inclusão de cursos de idiomas em nosso programa flexível. Todos gostaram muito”, conclui.

 

Essa matéria foi retirada da Exame
https://exame.abril.com.br/negocios/dino/beneficios-flexiveis-e-tecnologia-no-rh-o-segredo-do-ifood-para-conquistar-os-profissionais/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *