Remuneração de executivos brasileiros equivale a 50,3% do salário de americanos

Executivos de níveis gerenciais em atuação no Brasil recebem o equivalente a 50,3% dos salários pagos a esses mesmos profissionais nos Estados Unidos. Já no Chile, os executivos recebem 97,5% dos salários pagos aos norte-americanos. O levantamento considerou informações de 20 milhões de profissionais em 110 países

Os melhores salários, em comparação à remuneração dos americanos, são os dos profissionais da Suíça (137,4%), do Catar (111,5%) e da Austrália (105,9%).

Estes são os resultados da pesquisa realizada na base de dados de salários da consultoria Korn Ferry, em sua divisão Hay Group, com informações de 20 milhões de profissionais de mais de 25 mil organizações em 110 países. Foi analisada a média de salários-base para gerentes seniores de TI e Vendas. Têm salários inferiores aos dos brasileiros os executivos da África do Sul (47,8%), Rússia (43,9%) e Índia (24,2%).


Desigualdade de gênero no trabalho afeta satisfação de profissionais

Diferenças salariais e presença em cargos de chefia são outros destaques da pesquisa sobre felicidade na profissão. Apenas 39% das mulheres estão felizes com a profissão, e somente 26% delas estão satisfeitas com a renda mensal. É o que mostra a pesquisa sobre felicidade e profissão realizada pelas empresas CVA Solutions e TheWill2Grow com 5.200 pessoas.

Entre os homens, os resultados mostram realidade distinta. Quase a metade, 49% dos entrevistados disseram estar felizes com o trabalho, e 33% estão satisfeitos com a renda.

A pesquisa também revelou que, em média, a renda familiar dos homens é 17% maior do que a das mulheres. Enquanto 27,4% dos homens estão em posições de gerência e são responsáveis por equipes, apenas 21,2% das mulheres ocupam os mesmos cargos.

A diferença salarial entre os gêneros pode chegar até 39%: homens diretores recebem, em média, R$ 8.656 mensais, enquanto as mulheres ganham R$ 6.206. Os homens que concluíram o nível superior ou pós-graduação recebem, em média, mais de R$ 6 mil a mais que as mulheres com a mesma formação.