5 razões para implementar benefícios flexíveis em uma empresa

5 razões para implementar benefícios flexíveis

Exemplos de companhias que já adotaram os benefícios flexíveis não faltam. Desde grandes redes até empresas menores se beneficiam dessa solução, mas você sabe quais são as razões para implementar benefícios flexíveis em uma empresa?

No Brasil, a Ericsson, por exemplo, implantou um clube para as famílias dos funcionários. O Grupo Boticário, que tem 70% de seu quadro de colaboradores composto por mulheres, oferece auxílio para babá, educação infantil e sala de apoio à amamentação.

São inúmeros os motivos para investir o quanto antes nos benefícios flexíveis, mas, a seguir, listamos o cinco principais:

 

  1. Alta satisfação dos funcionários

 

Essa ação estratégica dos RHs das empresas é responsável por grande parte da satisfação dos colaboradores. Em uma pesquisa conduzida por nós, da Bematize, com companhias de diversos setores, 85,71% delas afirmaram que atingiram a satisfação dos colaboradores com a flexibilização de benefícios.

Outro dado importante diz respeito à percepção dos benefícios pelo colaborador, resultado atingido por 71,43% das companhias, que também se fizeram perceber como inovadoras.

 

  1. Os custos para a empresa seguem iguais

 

Quando opta por implantar os benefícios flexíveis, uma empresa mantém seus custos fixos. E a boa notícia é que eles diminuem com os passar dos anos – exceto quando se decide aumentar o valor investido em benefícios.

Se bem administrados e geridos, os benefícios flexíveis só trazem ganhos a uma companhia. Eles vão desde uma percepção mais positiva dos profissionais até menor índice de turnover, o que gera economia e garante que talentos sejam retidos pela empresa.

 

  1. Pontuações derivadas de benefícios flexíveis elevam satisfação

 

Algumas empresas já adotaram os programas de pontuação dentro dos benefícios flexíveis do RH 4.0. Assim, cada benefício tem um valor em pontos e, quando acumula-se essa pontuação, o colaborador monta seu pacote.

A satisfação do profissional é elevada porque, alguém que tem um cônjuge que já receba auxílio-alimentação, por exemplo, pode direcionar esse recurso para outro benefício.

Segundo nosso estudo, publicado em 2018, para auxílios-alimentação e refeição, 69,23% das empresas permitem o intercâmbio de pontos entre todos os benefícios.

 

  1. O valor interno da empresa e a motivação dos funcionários só cresce

 

Uma companhia não é reconhecida apenas por seus resultados financeiros e abrangência de mercado. Grande parte do seu valor se deve à relação que possui com seus profissionais.

Os benefícios flexíveis são uma forma de mostrar cuidado e valorizar o funcionário e ajuda a criar um ambiente de motivação, colaboração e bons resultados. Assim, o valor interno do negócio fica muito maior e a retenção de talentos se acentua.

 

  1. A qualidade dos benefícios é um fator muito avaliado pelos candidatos

 

Se você deseja posicionar sua empresa como pioneira, inovadora e tecnológica, a adoção dos benefícios flexíveis é quase obrigatória. Isso porque candidatos avaliam a qualidade dessas vantagens oferecidas aos funcionários antes de se candidatarem a uma vaga de trabalho.

Como influenciam diretamente na satisfação geral de funcionários, especialmente os mais jovens, os benefícios flexíveis devem estar em sua lista de prioridades.

 

Precisa de ajuda para implementar benefícios flexíveis no seu negócio? Fale com a Bematize!

Somos especialistas nessa área e podemos cuidar de toda a estratégia, escolha, implantação e gestão dessas vantagens.


Como o RH se beneficia da implantação de benefícios flexíveis

Os planos de benefícios flexíveis estão se tornando, cada vez mais, uma realidade nas empresas. Isso porque, por meio desse sistema, os profissionais têm a chance de escolher os benefícios que melhor atendem às suas necessidades.

Como os colaboradores de uma empresa têm diferentes estilos de vida, preferências e necessidades, oferecer essa vantagem parece ótima ideia, não acha?

Muitas companhias ainda não se convenceram de que os benefícios flexíveis trazem inúmeras vantagens ao RH. Por isso, a seguir, listamos alguns dos motivos pelos quais a área de Recursos Humanos deve adotar – para ontem – essa flexibilização.

Quais são as vantagens trazidas ao RH pelos benefícios flexíveis

O sistema de benefícios flexíveis teve início na década de 70, nos Estados Unidos. Entretanto, ganhou força no Brasil apenas nos últimos anos.

O que acontece, normalmente, é que a empresa define o valor de cada benefício e estabelece uma verba para que cada profissional opte por gastá-la de acordo com as opções disponíveis.

Há inúmeros benefícios flexíveis disponíveis. Eles vão desde plano de saúde e odontológico até reembolso para cursos, planos de previdência privada, auxílio-creche e muito mais.

Existe, ainda, a possibilidade de atribuir pontos ou créditos a cada funcionário. Com isso, cada colaborador tem uma quantidade específica para investir no benefício que desejar.

Quando o RH abraça e investe no sistema de benefícios, toda a empresa se beneficia. Há mais motivação dos funcionários, bem como poder de atração e retenção de talentos.

Com maior entendimento e poder de escolha sobre sua remuneração o colaborador se sente mais valorizado. Isso impacta diretamente em sua produtividade e, consequentemente, nos resultados da empresa.

Como implantar um sistema de benefícios flexíveis com sucesso

Qualquer empresa pode adotar um sistema de benefícios flexíveis. Independentemente de seu tamanho, é possível investir nessa solução.

É preciso, no entanto, prestar atenção a alguns pontos fundamentais para que o RH obtenha vantagens da adoção de benefícios flexíveis.

Em alguns casos, optar por uma empresa focada nesse tipo de atividade, como a Bematize, é a melhor opção para garantir que sua implantação gere resultados positivos.

Algumas iniciativas são indispensáveis no momento de implantar benefícios flexíveis. São elas:

 

  • Saiba o que seus colaboradores querem;

 

  • Monte os pacotes de benefícios;

 

  • Defina como escolher e gerir os benefícios;

 

  • Apresente e oficialize o novo sistema;

 

  • Avalie o impacto financeiro de benefícios de natureza salarial;

 

  • Teste antes o novo sistema de gerenciamento de benefícios;

 

  • Verifique exigências de sindicatos para não infringir a lei.

 

Sabemos que não é fácil a tarefa de implementar benefícios flexíveis, mas, com a ajuda de especialistas o RH pode se beneficiar – e muito – dessa novidade.

Avalie as possibilidades mais recomendadas para o seu negócio e invista nessa flexibilidade. Certamente sua companhia será reconhecida por reter, atrair e motivar muito mais os talentos!

 


RH 4.0 e benefícios flexíveis: por que um está ligado ao outro

O termo “RH 4.0” pode causar estranheza a algumas pessoas, mas tem se tornado cada vez mais comum. Ele caminha lado a lado com a 4ª Revolução Industrial e prevê medidas  como automatização da área e foco estratégico em vez de operacional.

 

Diferentemente do RH tradicional, que cuidava apenas de contratações, pagamentos e recrutamento, o RH 4.0 assume uma posição-chave na empresa. Por isso mesmo, está diretamente ligado aos benefícios flexíveis, tendência nas companhias que prezam por seus talentos e querem o bem-estar dos profissionais.

 

Por que o RH 4.0 está ligado aos benefícios flexíveis?

 

Como o objetivo do RH da Era da Transformação Digital é atrair e reter profissionais qualificados, melhorar o clima organizacional e contribuir para a melhoria dos resultados da empresa, é fundamental entender o que o colaborador deseja.

 

Um dos fatores mais preponderantes no momento de um profissional optar por determinada empresa é a flexibilidade dos benefícios. Com a mudança nas necessidades dos colaboradores, é primordial ter diferenciais para tornar o seu negócio atraente. Benefícios flexíveis e mais qualidade de vida aos funcionários são, portanto, aspectos fundamentais.

 

Quais são as mudanças trazidas pelo RH 4.0

 

A mudança no perfil do colaborador é o principal desafio para o RH atual. Isso porque os profissionais estão mais exigentes em relação ao ambiente de trabalho e valorizam muito mais aspectos como qualidade de vida. Adaptar isso à rotina da companhia é um dos deveres do RH 4.0, mas como atrair talentos e fazer com que eles fiquem na empresa?

 

A resposta é com tecnologia e benefícios flexíveis. Isso porque a automação oferecida pelas soluções tecnológicas permite que os profissionais de RH se concentrem mais em atividades estratégicas, mantendo a produtividade e engajamento dos colaboradores.

 

Automatizar processos e contar com a tecnologia para otimizar tarefas que antes exigiam muito esforço dos profissionais de Recursos Humanos são outras medidas tomadas pelo RH 4.0. Exemplos de soluções são softwares para recrutamento, plataformas para desenvolvimentos de testes para os colaboradores e pesquisa de satisfação.

 

Além da flexibilidade dos benefícios, que podem ser adaptados de acordo com a necessidade e o desejo do colaborador, aspectos como o trabalho remoto (home office) e avaliação por produtividade em vez de presença são fortes tendências do RH moderno e um grande trunfo para reter talentos.

 

Quais são as vantagens dos benefícios flexíveis para o RH 4.0

 

Ao otimizar processos, reduzir erros e trabalhos manuais e contribuir para uma empresa mais competitiva, o RH 4.0 atua como uma área estratégica e fundamental para qualquer companhia. Quando adota os benefícios flexíveis, ele passa a ser mais bem visto pelos colaboradores, que ganham autonomia e se sentem mais valorizados.

 

Lembre-se de que ter o poder de montar uma carteira de benefícios personalizada é um grande fator de satisfação. Esse, inclusive, é um fator predominante nas pesquisas com profissionais que apontam o poder de escolha como um grande diferencial das empresas.

 

Com os benefícios flexíveis é possível melhorar indicadores do RH, tais como turnover e absenteísmo. Melhoria motivacional e organizacional são outras vantagens!


Como os profissionais da geração Z vão mudar o ambiente de trabalho

Especialistas em Recursos Humanos de todo o mundo voltam suas atenções para a geração Z, dos nascidos entre 1994 e 2010 e que começa a entrar no mercado de trabalho.

Algumas características destes recém-chegados profissionais já foram mapeadas. Sabe-se que eles valorizam um ambiente de colaboração, flexibilidade no local de trabalho, e feedback mais frequente. Além disso, querem poder contar com gestores dispostos a ouvir e valorizar suas opiniões e a orientá-los.

E está mesmo na hora de dar atenção aos mais jovens trabalhadores. É esperado que representem quase um quarto da força de trabalho nos Estados Unidos até 2020, de acordo com Departamento do Trabalho norte-americano.

A empresa de consultoria de RH Randstad fez uma pesquisa com o perfil deste público que nasceu e cresceu com a internet e usa a tecnologia de maneira ampla, para realizar diversas atividades e compartilhar experiências com variados grupos. Dados da pesquisa foram divulgados na conferência anual da SHRM. Um dos resultados que mais chamaram a atenção é a expectativa da geração Z com relação aos feedbacks:

  28% preferem ser avaliados pelos gestores depois de cada projeto ou tarefa.

26% querem retorno semanal.

20%, diário.

Apenas 1% está disposto a esperar a revisão anual de desempenho.

A sondagem comparou realidades de empresas de alto e de baixo desempenho:

Nas de alto desempenho, 29% dos funcionários das gerações Y e Z disseram receber feedback de seu chefe depois de cada projeto, em comparação com 11% das pessoas em empresas de baixo desempenho.

E 22% das pessoas em empresas de alto desempenho disseram receber feedback diário, em comparação com 16% naquelas com baixo desempenho.

Para receber os profissionais da geração Z, as equipes de RH devem coordenar atualizações importantes nas ferramentas com as quais este público costuma partilhar conhecimentos, a partir de sistemas de TI que suportem essas ferramentas. As empresas precisam estar online, definitivamente. Além das conexões de intranet, a presença digital é essencial nos canais e redes sociais da internet, os ambientes onde acontecem os relacionamentos, seja com clientes, parceiros ou candidatos a emprego.