Livre-se do estresse e evite a psoríase

Uma vida equilibrada, com controle do estresse, é uma forma concreta de evitar muitas doenças. Esse benefício é real no caso da psoríase, doença crônica que atinge a pele, causando lesões avermelhadas e que descamam, uma situação bastante incômoda para os pacientes, com prejuízos inclusive na vida social.

Os cotovelos, os joelhos e o couro cabeludo são as áreas onde as placas surgem mais facilmente. Embora não tenha cura, a psoríase não é contagiosa. Na maioria das vezes aparece antes dos 30 e após os 50 anos de idade, sendo que também pode surgir em crianças.

Como é cíclica, ou seja, os sintomas surgem e desaparecem várias vezes, o desafio no tratamento é, além de tratar as lesões, cuidar para que demorem o máximo possível em reaparecer. Esse acompanhamento constante vai demandar idas regulares ao dermatologista, que vai identificar o tipo de psoríase, já que existem vários deles, e prescrever o tratamento mais adequado.

Ainda não se conhece ao certo todas as causas da doença, mas ela é relacionada a problemas no sistema imunológico, questões genéticas e interações com o meio ambiente. O mais difícil para os pacientes é que, embora não seja contagiosa, ou seja, não é necessário o afastamento social, ele pode acontecer muitas vezes em razão do constrangimento pela aparência das lesões. Essa reserva, somada ao quadro emocional delicado causado pelo estresse, forma um contexto difícil de lidar e, dessa forma, a ajuda de outros profissionais, a exemplo de psicólogos, pode trazer benefícios ao tratamento.

Depende muito de você evitar que a psoríase reapareça

Para além da genética e do estresse, outros fatores influenciam na piora do quadro: o consumo de bebidas alcoólicas, tabagismo, excesso de peso, o frio e o uso de alguns tipos de medicamentos, como corticoides, anti-inflamatórios e o lítio.

O que se pode fazer?

• Mantenha a pele bem hidratada;
• Tome sol, mas com filtro solar;
• Cuide da sua saúde emocional e encontre soluções para evitar o estresse, seja acompanhamento psicológico, meditação, atividades físicas ou outras atividades relaxantes;
• Procure manter as suas atividades sociais mesmo se estiver com as lesões na pele. Deixe claro do que se trata e que não há risco de contágio. Nunca abra mão do respeito, da dignidade e da boa convivência. Seu estado emocional vai se equilibrar e a saúde agradece;
• Visite regularmente o dermatologista.

Sol e alimentação saudável

O sol, quem diria, é um aliado para amenizar os sintomas da psoríase. Basta que a exposição aconteça nos horários recomendados e com proteção adequada.

A alimentação também pode fazer bem e ajudar a combater a inflamação. Comidas ricas em ômega 3, a exemplo de peixes, azeite e nozes, e outras com propriedades anti-inflamatórias devem fazer parte do cardápio.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *